Eu continuo sendo a mesma pessoa, mas estou diferente


Hoje parei em frente ao espelho e fiquei observando a imagem refletida, na minha frente estava eu mesmo (claramente uma grande descoberta, que gênio), e embora pareça obvio, naquele momento percebi que eu continuo sendo a mesma pessoa.

Ainda levanto a sobrancelha quando vou tirar selfies, ainda ouço músicas que na adolescência eram as minhas preferidas, ainda acredito no amor, - embora clichê, é a mais pura verdade -. E por falar em clichês eu ainda vejo certa beleza neles.

Sim, eu continuo sendo a mesma pessoa, que já viveu momentos lindos que de tão perfeitos foram eternizados na moldura de lembranças que nem mesmo os maiores sofrimentos poderão apagar.

Eu ainda sou a mesma pessoa, capaz de fazer loucuras por amor, tudo para arrancar um sorriso da pessoa amada. Eu ainda sou uma cara que escreve linhas tortas, na esperança de que para algum leitor elas façam algum sentido.

Eu continuo sendo a mesma pessoa, mas estou diferente... Já não corro atrás de quem não quer ficar, parei com isso desde que descobri o que é reciprocidade.

Eu continuo sendo a mesma pessoa, mas já não concordo que o amor justifique tudo, aprendi que o amor não fere, se fere já deixou de ser amor, e é bom não confundir possessão com liberdade, e aproveitando deixe-me dizer Zé, que "sinônimo de amor não é sofrer", sinônimo de amor é liberdade.

Eu continuo sendo a mesma pessoa, ainda trago na mala uma porção de defeitos incorrigíveis e alguns novos que resolveram fazer parte da bagagem.

Eu continuo sendo a mesma pessoa, mas estou diferente do dia que você me conheceu. O poder que eu concedia a algumas pessoas que me cercavam foi removido, não delego mais a outros o controle daquilo que não lhes diz respeito.

Eu continuo sendo a mesma pessoa, para aqueles que tem a sensibilidade de enxergar a minha essência, mas estou diferente para os que só tem acesso a minha embalagem.

Eu continuo sendo a mesma pessoa, só não me deixo sofrer sem necessidade, obrigado Caio Fernando Abreu pelo conselho.

Eu continuo sendo a mesma pessoa, mas estou longe de ser quem você conheceu, é a máxima proferida por Clarice Lispector, "sou sempre eu mesmo, mas com certeza não serei o mesmo para sempre".

Joanderson Oliveira