Por favor, não seja efêmero


A verdade é que eu ando bem cansado, a gente as vezes entra em uns círculos viciosos e não sabe como sair deles, tenta, pula, se joga, desvia, mas não tem jeito, quando nos damos conta estamos de novo no ponto de partida.

Ando cansado de conhecer pessoas que se mostram interessantes e depois perdem o jeito, a manha, desaprendem o que outrora faziam com exímia maestria. Por isso talvez andei meio perdido esses dias, fazendo coisas que não sem bem por quais motivos as fiz, faz parte da vida, eu acho, assim sendo, seguimos.

Eu sempre gostei da ideia de vida a dois, cumplicidade. Casais apaixonados me fazem suspirar, dia desses vi uma foto no instagram, tão poética e cheia de afeto que alegrava o peito.

Mas da trabalho se descobrir, se desmontar para outra pessoa, regar a terra, cultivar e por fim, esperar o resultado. E se eu pudesse fazer um pedido, a quem ainda vai chegar, é que não seja mais um amor, seja o amor.

Não seja o amor dos próximos meses, seja o para sempre, - por mais fantasioso e clichê que isso possa ser -. A verdade é que eu gosto de gente de verdade, que liga, que se importa que está presente, que não vive me dizendo apenas que estar com saudades, mas que aparece sempre e mata a saudade até a última gota.

Eu não preciso de mais um amor para passear no meu peito, depois juntar as malas e ir embora, meu coração não é parque de visitação, é jardim para se fazer morada.

Porque a grande verdade é que estou cansado de arrumar a bagunça que os outros fazem aqui dentro, então se não tem intenção de ficar, vire na próxima esquina a esquerda, e the end.

Eu não preciso de mais um amor efêmero, mais do que superficialidade eu quero profundidade, mergulhar nesse mar de incertezas chamado vida e descobrir que amar, ainda que perigoso e arriscado é a melhor coisa da vida.

Por favor, não seja efêmero, eu só quero a calmaria de um amor sincero.

Joanderson Oliveira