Você é uma cicatriz no meu passado, hoje até dói, amanhã não vai doer mais


Como eu te esqueço? É me conta, me fala... me diz por favor. Porque eu juro que já tentei, já beijei outras bocas, já vi outros rostos, mas meu coração ainda sopra teu nome, zombando de mim dizendo que nenhuma dessas pessoas é você.

Já faz um tempo que você partiu, já faz um tempo que nossos caminhos foram separados, e embora vez ou outra a gente se fale no WhatsApp nada é como antes, nem teria como ser.

As pessoas me dizem pra te esquecer, virar a página, organizar a bagunça interna, logo eu que nem meu quarto consigo organizar, você deve lembrar de como ele sempre foi bagunçado.

Eu queria algo emergencial, dormi e acordar livre da saudade e da vontade de te dizer que ainda penso em você todas as noites, que sinto falta do que tínhamos mas que se perdeu no meio do nosso cotidiano, não soubemos lidar com a rotina e como um tsunami que arrasta tudo, fomos lançados ao cansaço dos dias iguais.

Meu orgulho me impede de te dizer o que ainda sinto, e eu já sei que sua vida seguiu, que você tem outro alguém, alguém que não sou eu, e me pergunto se isso já não é motivo suficiente para que eu também siga em frente.

Mas ao invés de seguir eu me agarro a vã esperança de que tudo volte a ser como um dia foi. Dispenso pessoas que me procuram, não vejo graça em conversar com elas, elas não são você, e eu só ouço o eco do seu nome, o tempo todo e a toda hora. Eu disfarço, digo a mim mesmo que não sinto, mas meu coração joga na minha cara que ainda lembra de cada parte sua, seu jeito simples de me fazer sentir especial, como muitos tentam e eu não deixo.

Eu vivo atras de uma resposta que me ajude a seguir, o que é perfeitamente normal, quando estamos embebidos em sentimentos paramos de pensar racionalmente, e nos focamos naquilo que nos falta.

A verdade é que eu já sei a resposta, eu preciso deixar você sair de mim, das minhas memórias, não adianta ter pressa eu sei, vai ser um processo lento e devagar, mas se eu deixar o tempo vai te levar assim como já levou outras memórias, e um dia você sera apenas uma lembrança.

Preciso deixar você ir, porque você já deixou claro que já não faz mais questão de ficar, e tenho aprendido que amor não é o desespero que sinto ao lembrar de você. Amor?, amor não, amor é outra coisa, amor é a paz que espero tanto encontrar e que você tem me roubado.

Me devolva, não me leve já que você não quis ficar. Estou fechando a porta, isolando as janelas e me despedindo de você. Não vai ser fácil eu sei, não vou te esquecer hoje, eu sei. E amanhã você ainda irá assombrar minhas memórias.

Mas espere e deixe que o tempo leve o que tem que levar. Irei apagar suas fotos, parar de vasculhar suas redes sociais, ou de procurar saber como ou com quem você está. Vou viver a minha vida, que embora eu tenha esquecido, é linda.

Vou deixar que um novo amor chegue. Vou fechar nossa história que meu coração insiste em querer ler, vou deixá-la bem longe dele, fecharei o livro e jogarei tão longe quanto puder.

Porque amor não é isso que eu acho que sinto, amor é leveza, paz, tranquilidade. E já que sua presença não me dá isso, não irei deixar que sua ausência venha me atormentar.

Talvez um dia você me procure, se for o caso não venha. Minha vida vai seguir, sem você. Sou inteiro demais para aceitar a sua metade. E embora eu esqueça isso, a partir de hoje me lembrarei todos os dias que você foi saudade, hoje é lembrança, memória. Que apenas foi, mas não é e nem sera o meu final.

Vou retirar o band-aid e deixar que tudo doa de uma vez, assim junto com a dor você também irá embora.

Você é uma cicatriz no meu passado, hoje até dói, amanhã não vai doer mais.

Joanderson Oliveira