Manda nudes


Manda nudes vai! Um nudes do teu sorriso, aquele que surge quando nossos olhos se encontram e percebemos que o belo da vida quase sempre fica subtendido.

Me manda um nudes da tua alma, dos teus medos, dos teus anseios, me manda um nudes dos teus desejos mais absurdos, das loucuras que você se quer ousaria pronunciar, me manda vai. Manda um nudes do teu abraço, que eu sinto tanta falta. Manda nudes do teu beijo que afaga a alma.

Manda um nudes daquele texto que te deu tesão, que te deixou fora de órbita, me manda um nudes dele, e me provoca a ir te encontrar. Me lembra que não precisamos ser crianças, para sonharmos, podemos ser apenas nós mesmos e em meio a completos devaneios nos aventurar.

Me manda um nudes dos teus lábios, junta eles aos meus e me deixa descobrir os teus segredos mais profundos, deixa-me sentir o arrepio que surge na tua nuca, quando com meus lábios brinco de escrever poemas no teu corpo.

Me manda um nudes da tua raiva, de quando estás fora de si, e me lembra que nosso amor não se baseia em perfeição. Me tira do sério, de mim, e me leva pra ti. Me manda um nudes desse teu jeito de ser brincalhão.

Manda um nudes da reação que tivesses quando te apresentei aquela frase da Clarissa Corrêa, que mudou minha vida, e me fez perceber que amor não dói, alguns é que não sabem amar.

Ah, me manda um nudes dos teus sonhos, sorri comigo, planeja, e me leva junto. Me manda um nudes daquela música que já ouvisse milhões de vezes, mas que ainda te leva a lugares inimagináveis.

Me manda um nudes das tuas lágrimas, faz de mim teu cobertor em meio ao frio. Me manda nudes da tua cara de sono, da tua voz embargada, da tua risada gostosa, me manda um nudes que não me dê apenas tesão, mas que aqueça além do corpo a alma, quiçá o coração.

Manda um nudes poético, se vira do avesso, e me mostra como és sem capa, sem máscaras, sem proteção, me deixa te ver por dentro, as cicatrizes, as marcas, as paixões, os desejos, o que és, o que fostes, e o que irás ser. Me manda um nudes das tuas pétalas, só não esquece dos espinhos. Sabes, que comigo é tudo, ou nada.

Manda um nudes poético vai... (é como dizem por ai: "eu nunca te pedi nada").

Joanderson Oliveira