Perdoo você, mas não te quero mais


Lembra quando começamos a namorar e você me perguntou o que eu não perdoaria?, na época eu respondi que não perdoaria uma traição, bom, na verdade o problema não está na liberação do perdão, está em voltar a confiar.

Não quero ser o tipo de namorado que fica na dúvida quando você diz que está em determinado lugar e fica pensando: "será que está mesmo?", não sou do tipo que verifica WhatsApp, ler as mensagens do facebook, vasculha e-mails, sms, ou histórico de chamadas feitas e recebidas, esse certamente não sou eu, estou longe de ser o Sherlock Holmes da vida a dois.

Vida a dois para mim requer confiança, entende? Eu preciso confiar em você para que o nosso amor seja leve, e essa leveza que é tão importante para mim foi destruída quando você me traiu. Não estou condenando você (ou qualquer outra pessoa), entendo que somos humanos e todos (inclusive eu) podemos cometer os mesmos erros, as mesmas falhas. Porém mesmo sabendo disso, eu não posso está em uma relação onde a dúvida paira e não me deixa respirar. Nossas ações tem consequências e nem sempre elas vem em nosso favor. 

Sim, eu ainda amo você, e sim eu perdoo você, de verdade, podemos ser amigos, colegas, conhecidos, mas namorados não mais, não dá, não por que você me traiu, mas porque a confiança acabou.

Sempre que eu beijar você, vou saber que você beijou outra pessoa enquanto estava comigo, vou saber que mesmo me tendo ao seu lado, você sentiu a necessidade de um outro abraço, um outro afago, um outro carinho, e isso dói. Dói porque para mim você sempre foi mais que o bastante, de todas as bocas era a sua que eu queria, de todos os abraços só o seu me importava, mas ao que parece lhe faltava algo, algo que eu não pude dar.

"Foi um erro, isso não vai mais acontecer", você me disse em meio as lágrimas. Tornou-se um erro depois que eu descobri?, caso contrário você manteria o "erro" e seguiria me enganando. Foi mesmo um erro?

Eu queria poder apagar as coisas, refazer os dias, mas não posso, não podemos e não vamos, desejo a você toda sorte do mundo e que você aprenda a amar, e que você encontre a felicidade, com outro alguém, pois comigo não dá mais.

Nosso tempo passou, se encerrou. Quanto a mim, abri as janelas do coração e da alma, varri fora toda poeira, lembranças que estavam embaixo do tapete de recordações. Removi coisas do lugar, (re)baguncei minha bagunça e não existe mais o seu "cantinho", não existe mais um "nós".

Eu perdoo você, mas não te quero mais.

Joanderson Oliveira