Assim morre outra vez meu coração...


Você, bela página de um velho livro
Não vou mais te esquecer
Assim morre outra vez meu coração
Nessa estrada onde eu caminho só...

Abro a porta do quarto, escovo os dentes, vejo as horas, viajo em pensamentos me perco em meio a momentos e desperto com a realidade de que você não está mais aqui. De que o "nós" acabou, de que os caminhos se separaram.

Meu coração bate de leve, me lembrando que tudo vai ficar bem, mas ele também aperta forte me lembrando que ainda sente a sua falta. O amor deixa marcas na gente, marcas que apenas com o tempo deixam de ser visíveis.

Vez em quando (leia-se quase todos os dias) durmo com a camisa que você me deu, forma estranha (eu sei) de te ter ali por perto, (ainda que estejas distantes), em outras dias mais nostálgicos durmo abraçado com ela, e embora ela não tenha seu cheiro ela me lembra você e isso basta para que meu coração reconstrua uma pequena história marcante dentro da quietude dos meus dias atuais.

Sei que você não está aqui, sei que você não vai voltar, sei que nosso momento foi aquele e sei que o ciclo muito provavelmente já se fechou, e isso não é (pelo menos não é para ser) um texto triste onde eu te culpo por nosso relacionamento não ter dado certo e me coloco como vítima de toda a situação, não. Não vejo as coisas dessa forma. Fomos o que tínhamos de ser, construímos o que nos foi possível, tentamos dentro de nossas possibilidades e isso me deixa feliz. Sou grato por ter encontrado você, por ter namorado você e por ter amado mais uma vez. Sentir o amor é tão raro nos dias de hoje, algumas pessoas só falam, e eu bom eu prefiro o viver, o sentir até a última gota.

E eu vivi, amei você da maior e melhor forma que pude. Me dei por completo e sem reservas, e planejei um futuro juntos. Daí em diante basta dizer que não era para ser e nossos caminhos se separaram.

Importa que saibas que tenho ótimas lembranças ao seu lado, que admiro e respeito você como sempre admirei e que torço para que você seja feliz.

E isso é relacionamento, às vezes ele dá certo, às vezes não! Sempre me entrego muito aos meus relacionamentos, me dou porque acredito que  um relacionamento só pode ser concebido dessa forma.

Relacionamento se faz de palavras, ações e muita reciprocidade, nele não cabe falácias por mais belas e cativantes que elas possam ser, elas não produzem solidez e se o relacionamento for comparado a uma rosa, o processo é simples, você rega/cuida do contrário ela morre. Relacionamentos são estradas teoricamente "infinitas", pois eles não trazem certezas, apenas possibilidades. Essa estrada não linear e supostamente "infinita" terá seu fim (ou não) na medida que vamos nos relacionando com o outro e vendo até onde podemos continuar.

Depois desse paragrafo cheio de devaneios, voltemos ao foco do texto, onde o foco está no ato de se doar e de assim deixar o amor leve, gostoso, uma verdadeira "cremolicia" do prazer, nem sempre ele sai como esperamos e por isso meu coração morreu algumas vezes.

Algumas mortes foram mais desastrosas e devastadoras que outras, mas todas elas foram de muito aprendizado. E tal como a fênix meu coração sempre se recuperou, uma dádiva que o amor produz, e que renova o peito de uma sensação nova.

Não sei se meu coração ainda vai sofrer algumas mortes, mas se tiver amor eu corro o risco. Se tiver amor eu fico, eu luto, eu bato o pé, eu insisto. Se lutarmos juntos conte comigo. Só não me deixe lutando sozinho.

Porque por mais dores que se tenha, amar ainda é a melhor coisa da vida!

Joanderson Oliveira