Para onde f(l)or, florescer...


Eu não sei o que o futuro reserva, e mesmo que fosse possível certamente seria algo perigoso, a vida não teria mais emoção e se tornaria a dolorosa espera do previsto (ou dependendo do caso, do imprevisto).

Voltando para a realidade do presente e de todas as probabilidades/possibilidades que o futuro reserva eu entendo enfim que não devo me preocupar tanto, desde que eu plante com cuidado o que quero colher no futuro.

Compreendo enfim que não importa para onde a vida me leve, desde que eu não perca a beleza das flores, o encantamento pelos detalhes (por menores que sejam), desde que a magia do amor esteja sempre a me rodear, e que apesar dos dias amargos eu não esqueça que existem os dias do florescer.

Espero realizar as loucuras e desventuras que idealizei, desde o beijo naquela linda rua ao amor feito em um avião cruzando continentes. Aprendi que o futuro não precisa ser assustador, desde que lá estejam os que me são queridos, desde que lá tenha afeto, tenha abraço e que não falte carinho.

Eu só espero que para onde eu f(l)or que eu continue a florescer, a amadurecer e crescer me tornando uma pessoa melhor a cada passo. Que eu não esqueça meus sonhos e que eu sempre lembre onde quero chegar.

Que eu não esqueça o que de fato é importante e que eu siga plantando flores, colhendo rosas, vivendo amores e sendo extasiado por eles. Que os beijos me tire do chão, causem arrepios e me tirem a respiração.

Que eu siga vivendo nos extremos, pois lá a vida tem mais emoção.

Desabroche!!

Joanderson Oliveira