00:00 - faça um pedido


E entre um verso e outro você aparece em meio as minhas frases, seria mentira dizer que não sinto a sua falta, claro que eu sinto. Não sou daqueles que amam e no outro dia pronto acabou, vira a página e já não lembra mais de nada. Então, é claro que sinto sua falta.

Lembro com carinho de nossas conversas, tudo parecia tão natural, tão simples. Falávamos sobre tudo, e às vezes sobre nada, nos entendiamos a nossa maneira. Nos gostávamos do nosso jeitinho, "complicado e perfeitinho", tudo parecia perfeito no meio das nossas imperfeições.

Era noite, e eu lembro que você me mandou uma mensagem dizendo: "Me abraça?", naquele momento tudo que eu queria era correr até onde você estava e te dar um abraço bem apertado, como eu não podia apenas disse que sim, claro que te abraçava, eu sabia o que havia por trás do seu "me abraça", significava que você não tava muito bem, e que algo estava roubando sua alegria, e toda vez que você falava "me abraça", eu pensava, sim meu amor, abraço sempre, abraço agora, abraço quando você precisar. Como eu poderia negar, não é mesmo? Meu abraço não era mais meu, ele era todo seu, e eu achava engraçado você me pedir aquilo que já era seu, era só vim e pegar.

Eu gostava quando discutíamos sobre algum assunto em que nossas opiniões divergiam, você sempre queria ganhar e me vinha com argumentos de tudo quanto era forma, de tudo quanto era jeito, e eu achava tudo aquilo tão nosso, eram momentos que estávamos construindo, lembranças para um porvir idealizado.

Lembro quando te beijei pela primeira vez, foi no meu quarto e seus lábios eram de um toque suave, de um gosto bom, e de uma sensibilidade que não sei explicar. Quando eu te vi pela primeira vez fiquei pensando tanta coisa, e claro fiquei muito nervoso, não soube como agir, falar ou me comportar, hoje trazendo essas lembranças a memória percebo como aquele dia foi engraçado.

A gente foi almoçar e lembro que me distrai olhando pro lado, você sorriu, olhou para mim e disse: "tá olhando para onde? ta olhando para quem? você é meu... eu sou um tsunami." Foi engraçado, era sua forma de me dizer que sentia ciúmes... rimos na sequencia e demos continuidade ao nosso primeiro encontro.

Um dia estávamos conversando e o relógio marcou 00:00, você disse depressa: "Rápido, faz um pedido, mas não conta para ninguém pois se contar não acontece". Eu não entendi muito bem, mas fiz o meu pedido. E sempre que a meia noite chegava fazíamos o nosso pedido, eu nunca fui de acreditar em coisas assim, mas você me ensinou a ver beleza em coisas simples, e porque não pedir? Então eu pedia.

Bom, o tempo passou e hoje eu posso contar o que eu pedi todas as vezes, em cada uma das vezes que o relógio marcou 00:00, eu pedi para ter você para sempre, para que nossos caminhos permanecessem juntos, e que um dia não existissem mais caminhos separados, apenas um só, que seria nosso.

É fato que não fui atendido, nossos caminhos se separaram e o resto você já sabe...

E sim, eu sinto sua falta. Mas sigo... sigo pensando em você com muito amor, e com muito carinho. Desejando que todos os dias a felicidade te encontre, e que sorrisos não faltem. Um, dois, três... que os sorrisos sejam infinitos.

E como diz uma frase da Bianca Menezes, "foi amor, desde o começo da implicância, até o tchau que não queria ter dito."

Era 00:00, e meu pedido se perdeu no tempo.

Joanderson Oliveira