Os imprevistos do amor


Era apenas mais um dia normal como todos os outros, e dentro de tanta normalidade Lis descobre que alguém gosta dela, alguém distante, alguém que nunca viu, coisas que nos dias atuais são resolvidas com um simples clique. Foto após foto e nada, nem um interesse despertado. E diante de todas as investidas ela se esquivou, ela se afastou...

Porém o tempo passa e o imprevisto as vezes nos surpreende, o inesperado acontece, talvez a flecha do cupido tenha chegado atrasada, e o que de início para Lis não tinha importância passou a ter. Quando percebeu ela estava ali, celular na mão, olhando as fotos de Jaime nas redes sociais, aquilo já havia se tornado um vício, e mesmo que ela negasse a si mesma ver as fotos dele a deixavam estranha. O corpo mais quente, o coração acelerado, as emoções mais fortes.

O que estava acontecendo com ela? Havia dito não para ele. Ela nunca o tinha visto, porque isso agora, que brincadeira era essa que seu coração estava tramando? Por enquanto ela não sabia, mas o tempo com certeza iria mostrar.

Sem ligar mais para os questionamentos e impossibilidades ela pegou seu telefone digitou uma mensagem, apagou algumas vezes, jogou o celular pro lado outras tantas, mas a vontade de entrar em contato com Jaime era maior. Então ela enfim se decidiu e escreveu... de início de forma tímida, perguntando como ele estava, e chegando aonde enfim havia planejado, contou que estava gostando dele e que agora entendia as coisas que Jaime havia falado para ela. Pronto, clicou em enviar e seu coração parecia que ia sair do peito.

O que ele iria pensar, como reagiria, o que iria fazer? Era normal sentir-se idiota depois de mandar uma mensagem para outra pessoa? Lis passou a noite toda com esses pensamentos perturbando sua mente, e dormiu sem nem se dar conta de quão tarde já era.

Acordou assustada, correu e pegou o celular para ver se havia alguma resposta. E tinha. Jaime havia respondido. Lis porém não sabia se abria, ficou com medo da resposta. O que será que Jaime tinha escrito. Seu coração nunca bateu tão acelerado.

Se enchendo enfim de coragem Lis abriu a mensagem. E um abismo parecia ter surgido em baixo dos seus pés. Na mensagem Jaime dizia que sentia muito, mas que a vida havia seguido em frente, não negava que Lis ainda mexia muito com ele, porém hoje estava com outra pessoa.

Lis não sabia ao certo o que pensar. Havia se habituado as coisas darem errado para ela, era sempre assim que acontecia. De alguma forma impossibilidades cercavam sua vida. E a única coisa que ela se perguntava nesse momento era o que fazer com esse sentimento que começava a crescer em seu peito. Ele a amava e ela o perdeu...

Lúcio, um amigo em comum entre ela e Jaime garantia a Lis que Jaime sentia alguma coisa por ela, dava para ver, para perceber que ele ainda gostava dela. A realidade agora é que os separava. Jaime estava namorando.

Os dias estão passando e Lis segue carregando seus sentimentos, o peito cheio de amor. Ainda passa algumas horas vendo fotos de Jaime, sonhando em trazer ele dos seus sonhos para sua realidade, arrependida por ter dito não quando podia ter dito sim, mesmo sabendo que não era culpa sua não ter sentido nada por ele naquele momento.

Certamente há uma coisa que Lis aprendeu, o amor é cheio de imprevistos, de surpresas e de situações que as vezes fogem do nosso controle. Não existem regras, não existe distância, o fato é que ele acontece. Se ela e Jaime ainda vão se encontrar nesse mar de desencontros que é a vida é algo que só o tempo e o próprio amor nos dirá.

Quanto a Lis, ela segue amando, segue suspirando.

Joanderson Oliveira