Onde estão as certezas?


Sentimentos nostálgicos me visitam enquanto deitado na cama penso sobre momentos, pessoas, lugares, situações, palavras ditas (e as não ditas também). Digo isso porque estava pensando sobre todas as certezas que já tive e hoje as procuro como alguém sarcástico, sorrio para mim mesmo e penso onde estão suas certezas?!

Já amei e cheguei a pensar que nunca mais amaria alguém novamente, já chorei por amores desesperadamente, acordei com olheiras e com uma sensação de fracasso gritante. Imaturidade? Talvez sim, talvez não, é verdade que eu era mais jovem do que hoje, meus pensamentos eram outros, eu não havia vivenciado as situações que hoje me servem de aprendizado e experiência.

Engraçado, que coisas (leia-se pessoas, momentos, vivências, e tudo mais que possa ser encaixado) que antes eram tão essenciais hoje são irrelevantes, porém não deixaram de ser importantes.

E talvez essa seja a grande mágica da vida, as incertezas nos movem, nos levam a querer descobrir onde tudo isso (ou tudo aquilo) vai dar, se o caminho será curto ou longo nunca sabemos, mas é fato que existe em nós (em mim) uma necessidade de se provar, de ir e de se entregar.

Se eu pudesse voltar no tempo e modificar a minha vida eu não mudaria as atitudes que tomei, as coisas que fiz, os impulsos que tomei, os beijos que roubei, os abraços que dei, as mensagens que mandei, com isso não quero dizer que não me arrependo de algumas coisas, sim eu me arrependo de situações que agi meio que as cegas, e que assim não pude ser eu mesmo. Mas me orgulho de todas as minhas loucuras, onde fui autenticamente eu.

Penso na vida e no que espero dela, revejo momentos, projeto situações, e por um minuto pondero sobre o que a vida espera de mim. Eu não prevejo o futuro e não sei como será a minha vida daqui a um, dois, dez, ou vinte anos, e hoje entendo que isso não importa. Não são as certezas que me movem. São as possibilidades, sou movido por elas.

E acredite enquanto houver possibilidades eu seguirei. E talvez você se pergunte o que tanto espero do futuro não é mesmo? Talvez se pergunte quais são as possibilidades que me movem.

Possibilidades podem ser relativas de pessoa pra pessoa, no meu caso eu espero que exista amor lá na frente, assim como existe amor enquanto escrevo esse texto. Espero um dia partilhar as séries que vi, os livros que li, as músicas que gosto, os filmes que me emocionam, com alguém que me dê borboletas no estomago, frio na barriga, e uma vontade imensa de me doar, não metade, não um terço, mas completamente.

Hoje cultivo amores recíprocos, como um jardineiro cauteloso cuida de suas rosas, ele apenas as rega, dia após dia, na esperança de que ao romper da alva elas estejam embelezando seu jardim. Algumas não resistem aos ventos fortes, as tempestades que surgem, ou as formiguinhas que destroem suas folhas, isso porém não faz o jardineiro desistir, ele continua cultivando. Graças a sua persistência seu jardim ainda se mantem florido.

Assim sigo espalhando o amor que acredito, cultivando os sentimentos que me são importantes, e a certeza de que possibilidades nos levam para mais perto do que esperamos.

Joanderson Oliveira