Enquanto esperava


Seus olhos sempre brilharam ao ver casais juntos esbanjando amor por onde passavam. Ontem a propósito ele estava no cabeleireiro esperando sua vez, quando algo na rua lhe chamou a atenção, ia um casal, mãos dadas, olhares que se cruzavam, risadas, amor, afeto e muito carinho. E ele pensou que a vida deveria ser mesmo assim não é?!

Amores que transbordam sempre lhe encheram os olhos. Talvez culpa da literatura romântica e de todos os livros clichês que já leu seus olhos tenham ficado romanceados demais, e talvez ele tenha mania de colocar amor em tudo. Não o julguem, ele só acha que a vida fica mais bonita, mais colorida. Como se o amor fosse uma especie de ingrediente que embora não faça a vida perfeita, deixe tudo com mais sabor, e as vezes até mais apimentado.

Ele nunca entendeu essa lógica contrária que se usa quando alguém é traído, fazem do traidor um destaque, e do traído um pobre coitado ou coitada que não consegue ser bom o suficiente para que seu par não sinta necessidade de conhecer outros corpos, outras bocas, outros sabores. Ele sempre entendeu que não é brega ou careta ser fiel, que ser traído não faz de você um abestalhado (ou qualquer outro termo pejorativo que queiram usar), ser traído faz de você uma pessoa que foi enganada por alguém que não tem princípios e valores e que no mínimo nem tem respeito pela pessoa com quem convive.

Não o taxem como "quadrado", ele entende que os tempos estão modernizados, e defende que se é permitido e com consentimento tudo é válido, tudo é permitido. A casais que trocam seus parceiros e que depois tudo bem, isso não interfere nas relações deles muito pelo contrário até apimentam as coisas, e sendo assim, bom para eles não é mesmo?

Ele só não é desse clube (nada contra quem gosta de um namoro aberto, livre, ser feliz é o que importa), ele é do clube vida a dois, cumplicidade, companheirismo, fidelidade, planos pro futuro, essa coisa toda de envelhecer juntos sabe? E se tudo isso for ser careta, então sim ele é do clube dos caretas.

Ele gosta de sentir saudades, de abraçar gostoso, de ficar contando as horas para ver a pessoa amada. Ele é sonhador, vive fantasiando situações, construindo memórias que talvez nunca saiam da sua mente. Ele vive espalhando afetos nos seus pensamentos. As vezes até umas brigas bobas, só para poderem fazer as pazes e se amarem loucamente.

Ele só queria que as pessoas quisessem mais do que fazem. Lutassem mais do que simplesmente desacreditar das coisas. Pessoas erram, é verdade. Mas elas também acertam. Certa vez andando por uma rua ele viu uma rosa no meio de um grande nada, um terreno vazio, sujo, sem graça. Mas a rosa estava lá.

Ele apenas sorriu e entendeu, que existem muitos terrenos vazios por ai. E infinitas rosas que precisam serem plantadas. As vezes elas caem, se fixam, mas por não serem regadas, murcham.

Mas nem tudo está perdido, ainda existem muitos casais como esse que ele observou enquanto esperava sua vez para cortar o cabelo, espalhando afeto, e deixando um gostinho de saudade por onde passam.

Sua vez chegou, ele foi cortar seu cabelo. Mas o gostinho de saudade apertou no peito.

Joanderson Oliveira