Sim, é possível amar!

Me ame baixinho e bem devagar, sem isso de pressa. Viver e preservar momentos deixa a vida bem mais bonita e cheia de bons sentimentos. É que eu sempre gostei de amores leves e sem muito estardalhaço.

Amor no pé do ouvido, de dormi juntinho, e planejar um futuro contando janeiros. Amor quentinho que tem gosto e cheiro de aconchego. Amor gostoso, cheio de carinho e um milhão de beijos.

Amor que acontece no "simples", nas ações do cotidiano. Seja no beijo de bom dia ou no "eu fiquei te esperando para dormimos juntinhos". Amor que não tem mágica. Amor que acontece.

Dizem que o para sempre é muito tempo. E que o sempre, sempre acaba. Besteira na minha opinião. Isso é apenas questão de opinião. O sempre para mim é relativo... ele as vezes tem 1, 10, 50 e lá se vão ai muitos anos. A grande questão é que classificamos o "sempre" cronologicamente. Quando deveríamos classificar pensando em todas as coisas boas que partilhamos e dividimos nesse percurso de tempo que nomeamos de "sempre".

E que me permita a licença poética, o romantismo desenfreado, ou mesmo a utopia que me permite sonhar, eu espero que sejamos para sempre um "nós". Mesmo com toda a impossibilidade que já foi colocada e todo o discurso que já foi espalhado. Que possamos nos apaixonar novamente todos os dias. E assim estejamos sempre apaixonados.

As pessoas muitas vezes querem um "para sempre", mas não lutam por ele. Parecem não perceber que o amor precisa ser renovado e cuidado todos os dias. O grande segredo na minha opinião é se apaixonar todos os dias pela mesma pessoa. Seus defeitos, seus jeitos, suas manias e suas piadas que muitas talvez nem tem tanta graça assim, mas fazem parte desse "nós" que estamos cultivando.

Amar é querer que dê certo. É lutar para que dê certo. É brigar com a rotina, se desviar dos dissabores. E aprender que o amor não se faz apenas de beijos e abraços, ele tem vírgulas e também amassos.

Não faça do amor um paradoxo, ele não é. Tudo depende muito de como enfrentamos as situações que nos cercam. É bem verdade que alguns amores não valem a pena e esses devem ser deixados de lado. Vira a página, troca o livro. Faça algo que te provoque liberdade.

Amor para mim é liberdade. É estar com alguém e sentir-se livre, leve e solto. Talvez essa seja a maior prova de amor. Não me entenda mal, é que alguns amores são verdadeiras prisões.

A grande verdade é que não existem fórmulas prontas de amar. Porque amor é uma grande descoberta. As vezes ele tem gosto de chocolate, morango outras vezes cereja. As vezes ele tem cheiro de rosas, do vento, do mar. As vezes ele é um abraço apertado, um "você não está sozinho", ou "vai ficar tudo bem", "conta comigo".

Ah o amor, que mais parece está em constante metamorfose. Sempre nos ensinando que é possível sim amar.

Joanderson Oliveira