Quando amamos


Se eu pudesse te dar um conselho seria: não fique com alguém por comodismo, não namore se não existir amor. Não se prenda e não deixe o outro preso ao que não é real. Só se prenda a alguém se existir amor, porque se ele não estiver no meio nada fará sentido.

Quando amamos queremos estar perto, dividir momentos, e o muito daquela pessoa ainda parecera pouco. A saudade chegara antes mesmo que o o outro se vá.

Você irá dormi e seu coração dirá várias vezes o nome da tal pessoa, lembrando a você para onde ele quer voltar. Você passará horas no telefone  e não as verá passar.

Talvez seu dia esteja bem cheio e seu tempo bem corrido, mas entre uma hora e outra você encontrará tempo para ligar e dizer o quanto está com saudade.

Seu sorriso será quase involuntário quando ver a pessoa amada.

Você vai querer vê-la feliz a todo momento. E vai torcer por todos os planos dela.

Você não será dono dela, você vai querer a vendo voar, sabendo que ela sempre voltara ao encontro do amor que ambos construíram. Porque amor é reciprocidade.

Quando brigarem você fará de tudo para fazerem as pazes. E vai ser tão natural se apaixonar por ela todos os dias.

Ou talvez você não faça (ou sinta) nada disso. Essa na verdade é minha forma de amar.

Joanderson Oliveira