O nosso hoje


A vida é feita de encontros e de desencontros, pessoas vem e vão e nos marcam de diversas maneiras. Em momentos de rompimentos e partidas sempre achamos que é o fim, parte de nós parece estar morrendo (e talvez esteja mesmo), o amor em sua essência fica tão machucado que mais parece que vai sucumbir. Até que ventos distantes (ou ventos de perto rs) tragam novas chuvas, novos momentos.

E o amor, assim como a fênix parece reviver, com uma nova cara, um novo cheiro, um novo jeito, um novo encontro no meio dos desencontros.

E ai me parece está o paradoxo, começamos a trazer problemas antigos para aquilo que é novo, comparamos o que não deve ser comparado, trazemos na mala nossos medos e inseguranças e esquecemos que amores novos não merecem pesos antigos.

Amor é caminhada, parceria e não muleta. Já vivi amores pesados, sufocantes e desesperadores, o que não foi de todo ruim, aprendi que eles não valem a pena. Hoje cultivo amores leves, cheios dos melhores afetos, porque aprendi que o amor está no silêncio dos nossos olhares, no nosso riso solto, nas nossas conversas que são tão simples, apenas são nossas, porque amor é porto seguro e não tempestade.

Para mim amor é aquele sentimento bom que depois de um dia corrido a gente se refugia, encontra colo, carinho, aconchego... Amor é quando eu sei que tenho para onde voltar, e que se eu me perder alguém vai me encontrar.

Por isso estou espalhando nossos afetos por onde passo, nossos carinhos, nossos beijos e abraços. Minhas palavras constroem uma trilha que nos leva um ao outro, uma direção em meio ao labirinto da vida, somos um porto seguro, somos um encontro. Eu não quero me preocupar com daqui a um ano, dois ou cem, quero me preocupar com o hoje, quero amar você hoje e fazer nossos momentos especias no hoje, e todo dia será um eterno hoje, assim estaremos construindo o nosso "Para Sempre", que não se faz pela quantidade de dias, mas pela quantidade de "hoje". E assim quando olharmos para trás, anos terão se passado e nós ainda estaremos vivendo o hoje.

Mas não espalha esse segredo, é que me disseram que o para sempre não existe e que ele sempre acaba. Pensando nisso criei essa estrategia, e decidi recriar o "para sempre", não qualquer um, mas o nosso.

Olha, deixa os medos de lado... sente o meu abraço! Sentiu? Ele se completa no seu... Observa nossos olhares, viu como eles se encontram e dizem tudo o que a gente sente? Fecha os olhos! Viu como nosso amor é leve? Deixa fluir, deixe que apenas seja. Essa sensação de carinho que sinto é o reflexo do que vejo nos seus olhos, do que sinto quando ouço tua voz.

Vem me dá a mão, e vamos... eu e você, nós dois! Vamos escrever o nosso hoje.

Joanderson Oliveira