Não é você, sou eu!


Não é você, sou eu!

Eu que cansei dessa conversa amarga de que o amor não passa de uma banalidade, que afeto e carinho não são demonstrações de amor, mas de algum interesse.

Sou eu que cansei de ouvir que todo homem é igual, que ninguém é fiel, que só beijar não é traição, que falar de amor é ser brega, que beijar uma boca só é coisa antiquada, fora de moda, coisa do tempo da vovó.

Sou eu que cansei dessa falta de respeito, dessa forma grotesca de se referir ao outro com ofensas, xingamentos e até mesmo pancadas.

Sou eu que estou cansado desse preconceito enraizado em nosso meio, dessa rotulação sem medida, desse desrespeito para com a vida. Sou eu que estou cansado dessa indiferença no sentir o outro, desse descaso com quem está ao nosso lado.

Eu que cansei desse discurso de que "...eu já tô casado mesmo, então tanto faz". Como se o fato de estar casado anulasse os afetos, o cuidado o querer bem, as pessoas parecem não entender que sentimentos assim devem sempre ser cultivados, não queira apenas estar casado, queira dividir a vida, a cama, o beijo e o abraço.

Sou eu que cansei dessa idiotice de que se uma mulher foi estrupada a culpa é dela por estar com uma roupa que não é "decente", é inadequada. Parecem esquecer que a mulher é dona do seu corpo, livre para ir e vir, para vestir o que quiser, e deveria ser respeitada como tal. Seu caráter não diz respeito ao que ela veste, mas sim a quem ela é. Nada justifica a ação de certos homens que se acham no direito de desrespeitar o NÃO da mulher. Aprendam que NÃO, é N-Ã-O... Existe apenas esse significado e não há variação.

Cansado desse discurso de amor e preservação da família, onde tantos ficam a margem, sendo hostilizados por uma "maioria" que se acha dona da razão. Parecem esquecer que amor não tem padrão, muito menos definição.

Sou eu que estou cansado desse comodismo para com muitas coisas, dessa síndrome de Gabriela, que parece estar impregnada em nosso meio. Sou eu que estou cansado do falso eu te amo, do falso beijo e do falso abraço.

Sou eu que sinto falta dos beijos sinceros, das conversas sobre a vida, de como ela pode ser gostosa e leve, mais muitos apenas falam da vida, e o pior, da vida dos outros, esquecem de cuidar das suas, mais encontram tempo para bancar os ficais da vida alheia.

Estou cansado, essa é a grande verdade! Cansado de tanto egoísmo, fingimento e atrocidades.

No meio de tanto cansaço, devo dizer que não estou derrotado. Aprendi a cultivar os bons sentimentos, a espalhar os melhores afetos e aprendi também que não sou perfeito, então me desculpem os erros, estou em construção, tudo em obras, desculpem o transtorno.

Mas sou eu que decidi acreditar em algo diferente a todos esses discursos que me causam cansaço. Sei que os bons afetos, a sinceridade, a fidelidade e aquilo que deixa a nossa alma leve estão sempre a nos rodear, e talvez a gente só precise abraça-los. Claro que vamos errar, eu só estou cansado de tudo isso ter se tornado normal, acontece, todo mundo faz.

Desculpem, mas não é assim que acredito. Não quero isso para mim. Aprendi a desejar coisas boas, a nunca desejar pouco.

Cansei desse discurso acomodado. Mas talvez não seja você, seja apenas eu.

Joanderson Oliveira