Seja meu bem querer


Me promete que não importa quanto o tempo passe você ainda vai me falar o que sente, ainda vai dizer essas coisas boas que trás no peito, não vai esquecer o "eu te amo, eu gosto de você, olha que sorriso lindo, seu olhar me encanta", me promete que ainda vai me chamar de bobo daquele jeito apaixonado...

Me promete que essa coisa gostosa e natural de estarmos juntos não vai se perder no tempo, no nosso cotidiano. E se por acaso acabar, não fica por ficar, por comodismo... desculpa gosto de me sentir vivo e não estagnado, gosto de sentir que sou amado. Sinceridade, comigo e com você... Diga o que sente, não invente.

Não entendo porque alguns casais esquecem dos seus afetos, dos carinhos sinceros, do querer está perto. Infelizmente percebo que muitos apenas estão casados, mas há muito deixaram de ser eternamente namorados. Parecem viver um pelo menos... "Pelo menos não estou só". Parecem esquecer que solidão não é sinônimo de está sozinho, sem ninguém por perto. Você pode está sozinho mesmo cercado por uma multidão. Você pode está sozinho mesmo "acompanhado", apenas você e seu comodismo.

Não deixa que o tempo mate as borboletas no estômago, o nervosismo do encontro, o prazer em está perto. Essa coisa boa de estarmos juntos, em silêncio abraçados. Nos tornando um só, no silêncio da nossa canção, no pulsar das batidas do coração.

Eu gosto dessa leveza da vida, sim... porque os pequenos afetos, os gesto simples e sinceros tornam a vida mais bonita e cheia de cor. Você não precisa ser um Romeu ou uma Julieta, você pode ser o Pedro, a Maria, o João, a Benedita... você pode ser apenas você, não precisa escrever um poema sofisticado, pode ser aquelas palavras simples. Você pode me perguntar quais palavras, ou o que dizer... eis minha resposta: Feche os olhos, ouça o silêncio do coração... deixa ecoar o sentimento através das mãos. Talvez saia apenas uma palavra, um texto, ou até mesmo uma canção... não importa. O importante é que seja sincero, seja de verdade, seja você a cada dia alimentando sua paixão.

Me pergunta como eu estou, mas não apenas por educação... ouve minha resposta, se importa com ela... 

Amar é simples, não precisa de confusão. Deixa uma rosa ao lado da cama. Manda uma mensagem... liga simplesmente. Me dá a mão. Porque o amor é isso, é esse cuidado gostoso, esse querer bem. Esse afeto que transborda no peito. É abraço, carinho é aconchego. Ele se revela nas atitudes, ele se traduz nas palavras...

Alguns vivem espalhando que esse tipo de amor de que falo é coisa de cinema, utopia da minha escrita, um romance que fica apenas nas palavras, bem cada um acredita no que quer... eu prefiro acreditar no amor do começo, que vai se perpetuando ao longo do tempo, no amor da paquera, na atração dos namorados, e por isso eu digo... não apenas case, mas sejam eternos namorados.

Somente os eternos namorados continuam apaixonados, mesmo apesar de tudo, dos defeitos, dos desencontros... sim desencontros afinal a vida também é feita deles... e  é nesse hiato de encontros e desencontros que percebemos quem realmente amamos e quem realmente nos ama.

É tão bom sentir saudades, aquela saudade gostosa que só sentimos quando estamos completamente apaixonados. Aquela vontade de está perto quando estamos longe. Essa vontade de contar tudo, as descobertas, as conquistas, de partilhar momentos e de viver preenchendo os pequenos infinitos da vida.

E nesse encanto de des(encontros), nos apaixonarmos ainda mais. E quando o nosso dia a dia começar a ficar cinza vamos misturar nossas cores, construir novas e renovar o nosso bem quer.

Um bem querer simples, sem nada complicado... estamos falando de amor e não de uma fórmula matemática. E ainda que não acreditem vamos espalhar esse nosso amor por ai, quem sabe ele cria raízes em outros (muitos) corações.

Joanderson Oliveira