Caminhos que se cruzam


Abri algumas janelas que fazia um tempo eu tinha fechado, esquecido. Estou mudando coisas de lugar, revendo ideias, mudando conceitos...

Bateu saudades, uma saudade de mim sabe?! Essa sensação leve e gostosa de apenas ser eu. Parece simples, talvez até uma bobagem você pode dizer... Mas não é tão simples assim.

A gente cresce ouvindo quem devemos ser, que corpo devemos ter, como devemos andar, querem controlar até o que vamos pensar, determinar até quem vamos amar... que música ouvir, que música cantar, e afins. A lista é longa (e com isso eu não estou falando das orientações dos nossos pais, e das pessoas que nos amam, que nos ensinam tantas coisas boas, e essenciais, falo de algo mais além).

O fato é que nesse caminhar vamos nos esquecendo pelos cantos, nos perdendo dentro do próprio corpo. Sufocamos as nossas vontades, anulamos o nosso eu.

Hoje andando, caminhando na complexidade dos meus pensamentos, organizando (ou pelo menos tentando) as coisas internas, fui encontrando partes de mim, pedaços, abraços, cicatrizes, sorrisos, desejos, vontades, tristezas e alegrias. Encontrei o meu eu que muitas vezes silenciei.

Deu saudade, saudades de mim...
Respirei, suspirei, cansei e parei
Me dei a mão, me levantei e abri a porta, a fechadura tava até enferrujada, e me olhei como quem vê um estranho, como quem não se reconhece, embora a imagem mais pareça um reflexo, você se assusta ao ver que não se tem espelho a frente. Apenas marcas, vontades passadas, coisas que ficaram... um 'eu' como se estivesse perdido em meio a tantos percalços, um eu que acabara de ser encontrado.

Ainda ouço a frase do meu eu quando nossos caminhos se cruzaram:

"-Me deixe passar, me deixe sair, me deixe ser eu, me deixe ser nós".
"-Sim, eu deixo. -Respondi".

Não quero atender as expectativas de ninguém, não quero me prender a essa tortura e a essa obrigação de ter que agradar, quero que as coisas fluam, que sejam leve, que sejam amor, que sejam flor, que sejam abraços, carinho, aconchego... que sejam, apenas sejam.

A gente tenta ser de tantos jeitos diferentes... apenas para agradar. Pura infantilidade, ingenuidade.

A beleza da vida não está nas mãos dos que nos aplaudem por fazermos o que eles querem que façamos, mas sim nas mãos que aplaudem nossa autenticidade, nossa ousadia... o nosso eu, que é tão singular... seja o meu, seja o seu... é nosso, muito embora queiram nos roubar.

Hoje se abrace de verdade, um abraço profundo... por ser exatamente quem é. Não importa o que os outros dizem. Ouça as batidas do seu coração, abrace o seu eu. Esse é o romance mais bonito que existe, não deixe que ele acabe.

Joanderson Oliveira

Comentários

  1. Infelizmente vamos nos perdendo com o tempo, esquecendo quem somos, o que realmente importa para muitas vezes agradar a alguém ou a um determinado grupo que não gosta do seu eu . Essa conversa com seu eu interior deve ser uma prática continua, mas que não se aplica na prática.
    Gostei muito do texto, me fez refletir sobre meu eu interior!!
    " A beleza da vida não está nas mãos dos que nos aplaudem por fazermos o que eles querem, mas sim nas mãos que aplaudem nossa autenticidade, nossa ousadia "
    Texto lindíssimo Joanderson, parabéns meu querido!!

    ResponderExcluir
  2. Esta necessidade pela busca irracional pela felicidade nos causa tanto descontamento que só encontramos tristeza e mais expectativa. Texto lindo.

    devoradores2livros.blogspot.com.br

    Um xero.

    ResponderExcluir
  3. Oi meu bem; Não posso dizer nada sobre mais este texto, afinal não tenho mais como descrever o quanto gosto de cada crônica sua. Só quero que saiba que meus elogios são os mais sinceros e honestos, de uma pessoa que torce por você, mesmo sem te conhecer pessoalmente. Que tem a certeza do seu potencial.

    Beijos Joh e tenha uma ótima semana.
    http://cabinedeleitura1.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Joanderson!
    Ahh cara, puras verdades. Mas eu acho que comigo foi o contrário. Acho que quando mais jovem, eu ainda estava me direcionando, tentando encontrar o que eu era e eu realmente descobri. E gostei do que sou. Acredito que sempre me faltou uma parte, e localizei na literatura essa parte que me faltava. Aprendi a esperar e não esperar muito dos outros, Aprendi a conviver comigo e não me importar com o que os outros pensem. Eu sou quero ser feliz, como todos querem.

    Abraços
    David Andrade
    http://www.olimpicoliterario.com/

    ResponderExcluir
  5. Saudades de si mesmo é mais comum do que se imagina. Desconfio que não haja ninguém que nunca a tenha sentido.
    Maravilhoso texto, como sempre.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de julho. Serão dois vencedores.

    ResponderExcluir
  6. Olá Joanderson.
    Me emocionei agora com seu texto. É mais do que perfeito e falou uma pura verdade. Quem não cresce assim? Sempre tem que agradar alguém durante nossa vida e acabamos nos perdendo.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  7. Oi Jan!
    De verdade a gente precisa ter cuidado e sermos fiel a quem somos porque tudo ao nosso redor nos influencia a ser algo, de alguma forma nessa vida. O risco de se perder é frande, mas é preciso deixar pista pela estrada para que saibamos por onde voltar. Me senti muito perdido quando terminei um noivado e percebi que não é saudável se anular por nada, senão quando você se encontrar sozinho não vai mais saber para onde ir e como seguir nos caminhos do seu próprio mundo.

    Mais um texto lindo e inspirador. Parabéns.
    Abraços.
    Diego, Blog Vida & Letras
    http://blogvidaeletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. "SEM OR"
    como pode se expressar tão bem?
    Como pode em um simples texto fazer com que me identifique nas palavras!?
    Perfeito Joanderson!
    Bjs da Le
    www.leversosecontroversias.com

    ResponderExcluir
  9. Ai, ai, Joanderson...♥

    Seu texto é muito realista! Hoje em dia há tanta gente perdida dentro delas mesmas! É tanta vontade de agradar, tanta vontade de impressionar, que elas acabam fazendo coisas e agindo de modos completamente estranhos à elas mesmas! É triste, mas é real!
    Chega uma hora que elas não sabem mais quem são, o que estão fazendo...e se encontrar, às vezes, é muito complicado!

    Lindo texto!! *--*

    Beijo
    - Tamires
    Blog Meu Epílogo | Instagram | Facebook

    ResponderExcluir
  10. Oi amei o seu texto !
    Você tem muito talento ! Já pensou em escrever um livro ?
    Parabéns pelo seu trabalho :)
    Já virei seguidora aqui .... SDV ?

    http://coisasdediane.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Olá Joanderson!
    Que texto mais lindo, parece que você escreveu com o fundo de sua alma!
    Adorei! Já pensou em escrever um livro? Você tem dom, menino!
    Beijos
    http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oi Jo. Tudo bem? Ótima reflexão. Sabe que eu andava assim nos últimos tempos? Sem saber quem eu tinha virado. E quando eu percebia, não aprovava tanto esta mudança. Mas agora voltei a me reencontrar. A ser quem realmente sou.
    Um beijão
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. às vezes, quando você passa boa parte da sua vida vivendo sob as expectativas alheias, fica difícil seguir aquilo que realmente se quer. (Emilie Escreve}

    ResponderExcluir
  14. Oi Joanderson!
    Mais um texto lindo <3 Realmente, ás vezes passamos algum tempo ocupados e acabamos nos distanciando de nós mesmos, infelizmente.
    beijos ♥
    nuclear--story.blogspot.com | Participe do sorteio

    ResponderExcluir
  15. Oiee
    Tudo Bem?
    Lindo. As vezes só não queremos entender mundo, mas a nós mesmos. Só é difícil, pois se luta com o interno e o externo a nós :/
    Adorei seu textoo
    Beijinhos Screepeer
    screepeer.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Aaah, que lindo, Joanderson!
    Adorei a questão de ter saudades de si mesmo.
    Você, como sempre, escrevendo com o coração e tocando também a razão.
    E que imagem fofa no começo, hehe.

    Beijoooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
  17. Owwn sou sua fã
    você escreve tão profundamente que toca bem no fundo e nos faz questionar sobre a vida, sobre o mundo.
    bju querido

    http://karinapinheiro.com.br/a-bagunca-no-coracao-que-ninguem-arruma/

    ResponderExcluir
  18. Texto simplesmente extraordinário, belíssimo trabalho :)

    http://ummarderecordacoes.blogs.sapo.pt/

    ResponderExcluir
  19. A Joanderçon Belo texto viu, e sei muito bem como é, as determinações e limitações e realmente chega aquele momento e que você acaba se perdendo dentro do próprio corpo, uma grande verdade!
    Abraços!!!

    Passa lá no blog e confere as novidades ;)

    www.pedrosanttos.com

    ResponderExcluir
  20. Parabéns pelo texto, lindo e verdadeiro!

    Raquel Morelli
    http://textosraquel.blogspot.com

    ResponderExcluir
  21. Seus textos me encantam sempre. Acho tão lindo como você usa as palavras.
    De verdade, texto lindo.x♥
    http://pensamentosdefabs.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. "Não quero atender as expectativas de ninguém, não quero me prender a essa tortura e a essa obrigação de ter que agradar, quero que as coisas fluam, que sejam leve, que sejam amor, que sejam flor, que sejam abraços, carinho, aconchego... que sejam, apenas sejam." Arrasou no texto. Amei!

    Beijos!
    http://postandotrechos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado pela visita! Espero que tenha gostado da crônica! =)