Nostalgia


"Que quem eu amo esteja bem!"
Clarissa Corrêa

A gente cresce e vai percebendo que não basta querer para se ter, ainda mais quando se está falando de amor, descobrimos que entre o que queremos e a coisa querida existe um abismo que só pode ser atravessado com uma ponte chamada reciprocidade, e aí mais uma surpresa, essa ponte nem sempre vem junto com o pacote.

Talvez um dia você ame alguém de uma forma avassaladora e talvez você não seja correspondido. Calma, isso não é o fim do mundo, é apenas a vida... às vezes isso acontece. Assim como talvez alguém, algum dia amou você mas não foi correspondido, e você não foi culpado por não poder retribuir. Pode ser um paradoxo, mas de vez em quando o amor tem dessas coisas.

Eu acredito piamente que tudo na vida acontece com um propósito, muito embora eu não acredite que somos levado pelo "destino", eu acredito que muitas vezes ele sopra em nossos ouvidos e nós resolvemos que vamos fazer o que ele nos sugere, só não sabemos que isso as vezes pode provocar dores, ou descontentamentos.

Amar você foi a melhor coisa que já aconteceu na minha vida, obrigado por ter me mostrado o que de fato é amar alguém. E eu amo tanto você que meu maior desejo é que você seja (esteja) muito feliz, mesmo que isso signifique que eu esteja longe. Você me ensinou que amar requer sacrifícios e algumas renuncias. Desejar que você estivesse comigo de qualquer maneira (a todo custo?) seria egoísmo, muito egoísmo da minha parte, e amar você me ensinou que amor para ser verdadeiro tem que ser livre, cercado por uma coisa chamada E-S-P-O-N-T-A-N-E-I-D-A-D-E.

Eu nunca amei alguém como amei você, mas eu sei que ainda vou amar de novo. Me desculpe os que discordam mas não sou a favor de que só amamos uma vez na vida, para mim isso só faz sentido quando o amor é reciproco. Eu acredito que o amor sempre está a nos sorrir e a nos convidar para encontra-lo.

O meu amor encontrou você, mas o seu não me encontrou e hoje percebo que está tudo bem. Eu não me arrependo nem um minuto se quer de um dia ter me apaixonado por você, algumas pessoas talvez nunca sentiram isso que tento descrever, (mesmo sabendo que as palavras irão falhar nessa missão) e eu senti esse amor, que me fez uma pessoa melhor, que me ensinou a olhar a vida com mais cores e com muito mais sensibilidade.

Lembra as vezes que estava triste e você sorriu para mim com aquele sorriso que só você tem? Sempre foi suficiente para alegrar todo o meu ser e mandar embora qualquer desânimo. Com você eu aprendi que a felicidade está nesses simples momentos compartilhados, ligações pelas madrugadas, risadas soltas e ombro amigo sempre que necessário.

Beijar você foi a melhor sensação da minha vida, eu queria explicar mas não posso, muito embora eu deva confessar que estou com um sorriso no rosto só de lembrar.

Você foi o melhor de mim, minha lembrança mais gostosa, meu abraço mais seguro e a minha certeza de que amar é a melhor coisa do mundo (por mais arriscado que seja).

Mas não fomos um "nós", só tem 'eu - você', separados.

E não, isso não é um texto triste, ou melancólico. Tivemos os nossos pequenos momentos compartilhados e isso que tentei narrar, não foi para lamentar, mais para celebrar e sorrir, porque você fez (faz) parte de mim...  e eu gosto disso, gosto de gostar de você.

Um dia (que está cada vez mais perto) eu vou me apaixonar novamente, vou mais uma vez bater um papo com o Sr. Amor, e sei que muita coisa boa vai chegar, assim como você um dia chegou. Quando isso acontecer todos esses momentos serão lembranças, lembranças boas. Lembranças que vão sempre me fazer torcer para que você esteja feliz, muito feliz. Assim como eu estou ao escrever esse texto e como eu vou está quando lembrar do dia que o escrevi.

Muitas pessoas lamentam os finais, os rompimentos e por ai vai... não sei se chegamos até isso. As coisas simplesmente foram acontecendo. Eu entretanto não lamento nada.

P.S.: Não desista do amor, eu não desisti. Ele sempre nos encontra... (Agora mesmo ele sussurra bem baixinho ao meu ouvido e diz: "-Tenho surpresas para você!").

Joanderson Oliveira