A menina da lan house


Eu nunca fui um expert em paquerar, não tenho olhar 43, nem sei usar cantadas prontas recheadas de frases de efeito. Sempre achei essas atitudes esquisitas e nunca soube (nem sei) agir assim.

Sempre tive meu jeitinho de agir, discreto, calado e cercado por palavras. Palavras sempre foram minha arma, meu escudo e minha defesa.

E com a menina da lan house não foi diferente... eu a vi pela primeira vez no meu pior momento, estava com minha confortável roupa de mendigo, brincando na rua com meu irmão e amigos (sim brincando, eu só tinha 14 anos e ainda brincava rss).

Eu só lembro de ter olhado para ela e decidido que queria beija-la.

Passei a ir a lan house todos os dias só para vê-la, e era sempre muito engraçado, às vezes sou tímido (só às vezes rss) e perto dela eu ficava todo sem graça.

Não lembro como consegui o número dela, só sei que consegui, e a partir daí passei a mandar mensagens assinando sempre como "admirador secreto", depois passei a ligar e continuava sonhando com o tal beijo.

Não demorou muito e ela descobriu o meu segredo, lembro que ela me olhou nos olhos e disse que era uma pena, mas alguém já havia chegado antes de mim e roubado seu coração. Ela me beijou no rosto e disse que eu ainda ia ser muito feliz e que nós seríamos grandes amigos.

Eu não queria ser apenas amigo dela... eu queria mais... mas a gente nem sempre consegue o que quer... e sempre tem um bom motivo para isso que depois compreendemos.

O tempo passou e realmente ficamos amigos, ela ainda lembra do meu aniversário e manda mensagens de felicidade, é realmente um amor de pessoa, hoje mora em outra cidade, casou e vive muito feliz.

E hoje, pensando eu aqui nas coisas da vida, eu lembrei dessa "paixonite" da infância, que me fez tão bem, e me mostrou que a vida às vezes tem caminhos diferentes dos quais planejamos, ela nem sempre segue o nosso roteiro, ela quase sempre abre um parentese no meio de tudo, nos desafia e testa a nossa coragem.

...Eu cresci (na altura nem tanto, isso é verdade rss), meus sentimentos são mais intensos, mais fortes, mais difíceis (muito M-A-I-S) de serem deixados de lado, para algumas coisas fechei de vez todas as portas, outras ainda estão entre abertas, de vez em quando olho pela brecha da porta, até que algumas vezes ela é batida na minha cara.

Mas isso na verdade não é mais tão assustador, chegará o momento em que vou acertar a porta, desvendar o caminho da saída do labirinto da minha vida.

As histórias estão sempre recomeçando, com personagens diferentes ou não, a vida vai seguindo e a gente vai aprendendo, desaprendendo e se refazendo! Só não podemos parar... o amor pode está em lugares que nem imaginamos, talvez não em uma lan house, mais em algum lugar certamente está!

Joanderson Oliveira