Fui me amar e não volto


Ando tão preocupado com algumas coisas (minhas). Sabe aquelas coisas que não contamos para ninguém, mas que não saem da nossa cabeça? Pois é. Elas às vezes doem, às vezes ardem, incomodam...

Eu havia prometido cuidar melhor de mim, me guardar de mim mesmo. Sim, por que às vezes somos muito cruéis conosco, ainda mais quando se é como eu, onde tudo tem uma proporção muito grande, onde tudo é sentido não até o limite, mas até transbordar. Às vezes parece que a razão tirou férias e minhas emoções estão dando uma festa. Alguém junta os meus pedaços? Às vezes pareço um quebra-cabeça faltando algumas peças.

Lembrete para todos os dias: Praticar amor próprio. Faz bem! Eu preciso, você precisa. Nós merecemos.

Dizem que a medida do amor é amar sem medida, eu discordo. Devemos amar o outro da forma mais intensa possível, sim. Mas não devemos esquecer que temos a obrigação de nos amar, nos cuidar e nos guardar. Do contrário ficamos muito vulneráveis, dando ao outro um poder que pode nos machucar.

Já dizia Clarice Lispector: "Cuide-se como se você fosse de ouro, ponha-se você mesmo de vez em quando em uma redoma e poupe-se". Tenho que aprender a por em prática isso...

Palavras podem machucar e a falta delas também... a falta da sensibilidade, a falta do jeito... a falta de tantas coisas. Eu sei que todo mundo tem o seu jeito de ser, mas acho que devemos tomar mais cuidado com o outro, com o que dizemos e com o que não dizemos. Isso nem é tão difícil assim, a gente tem que aprender a sentir o outro, a se colocar no lugar do outro.

E sim, já percebi... estou divagando de novo não é? (essa mania que não me larga)!

Bom, mas me deixe voltar para o assunto inicial...

Preciso cuidar melhor de mim. Já prometi isso para o meu coração, (tadinho dele, merecia um dono melhor), mas estou aprendendo, estou mudando, me refazendo, um pouco a cada dia. Tenha paciência comigo, afinal velhos hábitos não são deixados de uma hora para outra, eles vão se despedindo, indo embora, nos dão adeus, não encontram mais espaços em nós. Parece até mágica, mas não é! Pode procurar as cicatrizes, você vai encontra-las, são as marcas dos caminhos que trilhamos.

A gente sempre acha que não vai passar, que não vamos conseguir (e todo aquele desespero que não precisa ser descrito), mas a grande verdade é que sim, conseguimos. Afinal como dizia Clarice Lispector... "ainda bem que sempre existe outro dia. E outros sonhos. E outros risos. E outras pessoas. E outras coisas".

E eu tenho certeza que coisas muito boas estão chegando, não sei de onde, como ou por qual meio, mas elas estão chegando (minha fé garante isso).

Eu tenho certeza!

Joanderson Oliveira